Entidades realizam pesquisa sobre o Saúde Caixa. Participe!

Por Elizeu Junior

Com o objetivo de avaliar os serviços do Saúde Caixa (especialmente em relação à cobertura da rede credenciada e qualidade dos canais de atendimento aos usuários do plano), a Fenae e as Apcefs estão realizando uma pesquisa entre os empregados da ativa e aposentados.

O Acordo Coletivo de Trabalho vigente, firmado entre a empresa e os empregados, estabelece como responsabilidade da empresa a realização anual de uma pesquisa de satisfação dos usuários, que deveria identificar problemas e subsidiar ações que busquem o aperfeiçoamento do plano.

A última pesquisa aplicada pela matriz do banco, porém, teve um escopo muito limitado. Apenas 11.331 titulares foram convidados a respondê-la e houve somente 1.809 formulários respondidos. O plano possui, atualmente, quase 140 mil titulares (entre empregados da ativa e aposentados) e conta com aproximadamente 290 mil usuários (incluindo os dependentes inscritos). 

Além disso, a pesquisa aplicada pela matriz (que foi chamada de consulta pelos próprios representantes do banco) não tinha caráter científico e os representantes da Caixa informaram que não era possível estratificar os dados por segmentos ou por região, pela falta de tratamento estatístico adequado. “Por este motivo, os representantes dos trabalhadores decidiram aplicar uma outra pesquisa, mais ampla e de forma que os dados possam ser mais bem aproveitados”, explicou o diretor-presidente da Apcef/SP, Leonardo Quadros.

:: Clique aqui para responder a pesquisa da Fenae e Apcefs.

“A forma como a direção da Caixa aplicou a pesquisa de satisfação não permite que os resultados reflitam a real experiência que nós temos ao utilizar nosso plano e tampouco servem para identificarmos problemas e estudar ações para promover sua melhoria. Assim, pedimos para que todos respondam e divulguem esta pesquisa e, assim, possamos ter ferramentas para buscar uma rede credenciada mais ampla, que atenda os empregados de todas as regiões, e um atendimento mais humano, que ouça as necessidades dos usuários e busque resolver as situações”, relatou o diretor-presidente da Apcef/SP.

Informações retiradas na íntegra do site da FENAE

Gostou do post? compartilhe com seus amigos:

WhatsApp
Facebook
LinkedIn
Email
Telegram

Deixe um comentário