Empreender depois da aposentadoria: nunca é tarde para começar

Por Comunicação APCEF/MG

O estilo de vida dos aposentados tem mudado nos últimos tempos, a prova disso é o número crescente de MEIs com mais de 61 anos

Um dos momentos mais aguardados da vida para algumas pessoas é a hora de se aposentar. Aquele momento de dar uma desacelerada, descansar, aproveitar a família e viajar é o alvo de quase todos, afinal, todo mundo quer sossego. E você, se pudesse aposentar hoje e viver o resto dos seus dias sem trabalhar, diria que sim ou que não?

Há tempos atrás muitos diriam que sim sem pensar duas vezes, mas hoje a história está sendo um pouco diferente: os números comprovam que cada vez mais os aposentados estão se aventurando no mundo do empreendedorismo.

Segundo pesquisa divulgada pelo SEBRAE, em São Paulo são quase 120 mil microempreendedores individuais (MEIs) com mais de 61 anos. Eles representam 6,1% dos mais de 1,9 milhão de MEIs. Em anos atrás, essa participação era menor, 5,7% e 4,3%. As principais motivações para empreender na terceira idade são complementar a renda, necessidade de sustentar a família e se manterem ocupados.

O empregado aposentado da Caixa, Leo Motta, passou pela situação. Após 35 anos trabalhando no banco chegou a hora de se aposentar e ao contrário de muitas pessoas que não se preparam para o momento, ele se preparou e fez todo um planejamento do que iria fazer após o fim da carreira. “Estava com meus 58 anos quando deixei a Caixa. Minha esposa ainda trabalha, as filhas iniciando suas carreiras profissionais. Ficar em casa? Viajar sem a família? Não.” conta Leo.

Como trabalhou a vida inteira com assuntos relacionados à área de finanças, a ideia foi aproveitar a experiência, e alinhado a isso ele buscou se especializar ainda mais realizando uma pós-graduação, duas formações em educação financeira, além de vários cursos na área. “Passei a refletir como poderia continuar a contribuir para a vida das pessoas estando aposentado. Claro que viver gozando a vida também contribuiria, ao menos gerando recursos através do meu consumo, mas era pouco. Optei então por conciliar minha vocação em educação e meu conhecimento em finanças. Empreendi fortemente ao buscar uma pós-graduação e vários cursos no segmento de educação financeira. Queria ser educador financeiro”, relatou.

Leo Motta – Educador Financeiro

Hoje, mesmo estando aposentado, Leo tem seu CNPJ e se tornou um educador financeiro. Com o seu projeto “Saúde do Bolso” ele auxilia pessoas a serem saudáveis financeiramente. Além dos atendimentos individuais, o aposentado ainda é palestrante e promove oficinas e cursos ensinando sobre o assunto.

Segundo Leo cabe a cada um pesar como vai viver sua aposentadoria, se viajando, cuidando da família ou ainda aventurando-se em grandes desafios. Independente das escolhas, ele aconselha que é importante ter sonhos e metas. “Busquem investir em educação financeira. Nunca é tarde! Tenham sonhos, objetivos, propósitos, metas – não tem nada que ser do tamanho do mundo e pode ser de curto, médio ou longo prazo”, sugere.

Investir em capacitação é essencial para o bem do negócios e fundamental para o empreendedor. Pensando nisso a plataforma Rede do Conhecimento disponibilizou para empregados Caixa efetivos e aposentados, associados às Apcefs, diversos cursos sobre empreendedorismo e desenvolvimento pessoal. Clique aqui e conheça.

Departamento de Comunicação da APCEF/MG

Gostou do post? compartilhe com seus amigos:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta