Dia Mundial da Saúde: já cuidou da sua hoje?

Por Comunicação APCEF/MG

A data, estabelecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde) foi criada com o intuito de conscientizar as pessoas quanto à importância da preservação da saúde para uma maior qualidade de vida

Antes de tudo perguntamos: o que é saúde? A resposta pode parecer óbvia, mas não é bem assim. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) “saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. E como está a sua? Tem cuidado também da saúde mental ou só está se lembrando da saúde física? Neste período de pandemia você está se prevenindo contra a Covid-19 e continua atento às outras doenças?

Nesta quarta, 07 de abril, é celebrado em todo o mundo o Dia Mundial da Saúde. A data é de grande importância, já que traz a conscientização a respeito dos cuidados com a saúde. O assunto inclusive nunca esteve em tanta evidência como agora, isso por que o mundo enfrenta uma situação de caos gerada pelo vírus da Covid-19.

Enfrentamos uma crise extremamente preocupante em nosso país, com iminente colapso no sistema de saúde em vários estados. A necessidade da vacinação em massa é fundamental, e os cuidados contra a Covid-19 precisam ser redobrados e revisados constantemente. Mas é importante lembrar que, ainda que o vírus seja nosso maior inimigo hoje, existem outros vilões que podem atacar nossa saúde de outras formas. A boa notícia é que algumas doenças podem ser facilmente evitadas com a mudança de simples hábitos:

  1. Beber bastante água

Cerca de 70% do corpo humano é composto por água, logo, ela é fundamental do ponto de vista fisiológico. “Todas as células do nosso organismo precisam de água. Ela não tem energia, não produz calorias, mas é essencial para o funcionamento do corpo. E quando digo que é importante beber água quero dizer exatamente isso, e não líquidos no geral. Suco é fruta no estado líquido, isso não é água”, diz Andrea Bottoni, especialista em nutrologia e medicina do esporte do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

  1. Se alimentar adequadamente

“Para a população saudável em geral, não existe o alimento mágico nem o ruim. Nós podemos comer de tudo e não existe algo que em termos absolutos faça mal ao nosso organismo. O que pode fazer mal ao longo do tempo é a manutenção de hábitos não saudáveis, como comer todos os dias como se fosse uma data comemorativa”, diz o nutrólogo Bottoni. A dica do especialista é deixar o prato colorido, não exagerar nos alimentos de origem animal, adicionar bastante fibras e vegetais, ingerir de tudo um pouco, mas comer devagar. Confira aqui uma matéria especial que publicamos sobre o assunto.

  1. Dormir bem e tirar alguns cochilos

Dormir profundamente (descansar mesmo) é muito importante tanto para a parte física, quanto para a mente. “Quando temos uma noite de sono ruim, não atingimos a fase do sono REM, que é o período do sono restaurador, acordamos cansados, fadigados, indispostos e de mau humor”, diz Giulliano Accetta, clínico geral do Dr. Consulta. Cochilos também podem ajudar a melhorar a disposição, mas é necessário ter atenção. “Assim como a quantidade de sono que alguém precisa para ficar bem é variável, a soneca pode deixar algumas pessoas mais atentas, dispostas, rendendo mais em suas atividades e outras acabam ficando mais sonolentas, rendendo menos. Vai depender da pessoa”, completa médico.

  1. Ter tempo para você mesmo

“Eu não tenho tempo” está se tornando uma frase cada vez mais normal, o que não é nada bom para a sua saúde. O nutrólogo Bottoni ressalta que neste tempo se inclui aquilo que precisa para poder cuidar da própria saúde. Fazer exercícios físicos, ir às consultas médicas de rotina, realizar os exames que o médico pedir, escolher o que e quando comer, tomar vacinas, meditar e muitas outras atividades fazem diferença para o seu bem-estar físico e mental. “Ter tempo para nós mesmos, para cuidarmos de nós mesmos em tudo, é muito importante. A gente encontra tempo para trabalhar, então tem que encontrar tempo para se cuidar também”, orienta.

  1. Não se automedicar

Mesmo os médicos consultam especialistas para verificar os seus problemas de saúde, o que é extremamente importante para manter a mesma como um todo. Eles são os responsáveis por analisar o quadro do paciente, seu histórico clínico, outras medicações que faz uso e mais informações que são muito valiosas. “A automedicação é prejudicial à saúde pois os medicamentos podem apresentar efeitos colaterais e reações adversas, além de poder desencadear outros sintomas”, diz Accetta. Além disso, a automedicação pode mascarar sintomas importantes para a detecção de doenças, fazendo com que elas só sejam diagnosticadas quando o problema está mais avançado.

  1. Ter momentos de lazer

Todos os especialistas concordam que tão importante quanto essas dicas, é fundamental que tenhamos momentos de lazer. A Covid-19 nos trouxe restrições de distanciamento e realizar algumas atividades tem sido complicado, mas simples hábitos como leitura, pintura, assistir filmes e séries, curtir bons momentos em casa com os familiares, e outros, são importantes. Trabalhar com o que gosta é muito bom, fazer exercícios e dormir é maravilhoso, mas ter uma atividade que gosta, que seja feita exclusivamente por prazer – o lazer – é fundamental. Nosso corpo trabalha por recompensas e vale investir nesses momentos especiais. Sua saúde agradece!

Departamento de Comunicação da APCEF/MG com informações do Minha vida

Gostou do post? compartilhe com seus amigos:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram

Deixe uma resposta